LACTOGAL


A importância do pequeno-almoço

O pequeno-almoço de uma criança que vai para a escola é uma refeição que assume um papel de extrema relevância. Normalmente, esta refeição é compartilhada com a família, sendo fundamental que os pais assumam um papel fulcral atribuindo a devida importância a esta refeição.

As crianças que não comem de forma suficiente e equilibrada logo pela manhã, tornam-se desatentas e agitadas ou fracas e sonolentas. Isto acontece porque, quando em jejum ou mal alimentado, o organismo ataca as reservas de açúcar para conseguir manter o nível de energia. Apesar de obter assim alguma energia, não consegue a suficiente para responder a grandes exigências físicas e intelectuais, do mesmo tipo das que são feitas às crianças na escola. O jejum prolongado põe em funcionamento outros mecanismos prejudiciais à saúde.

Por outro lado, a falta do pequeno-almoço vai fazer com que a criança fique com mais fome para a refeição seguinte (lanche da manhã ou almoço), e irá, provavelmente, comer insaciavelmente nessa próxima refeição, o que poderá contribuir para uma futura obesidade.

Para que serve o pequeno-almoço?



  • Quebra o jejum nocturno (que pode ser de 12 horas)
  • Permite uma distribuição equilibrada de alimentos ao longo do dia, evitando refeições mais pesadas
  • Assegura que as nossas capacidades se mantenham constantes
  • Permite “recarregar baterias”, fornecendo os elementos de que o corpo precisa para funcionar bem ao longo do dia.

O que deve conter um bom pequeno-almoço?


Um bom pequeno-almoço deve fornecer cerca de um quinto das nossas necessidades calóricas diárias. Ou seja, deve ser uma das principais refeições tão nutritiva como qualquer outra.
Para além disso, é importante que o pequeno-almoço contenha três elementos fundamentais:

  • Leite, porque fornece cálcio e proteínas valiosas que permitem construir, manter e renovar os tecidos.
  • Pão ou cereais, porque fornecem energia de uma forma constante, devido aos hidratos de carbono complexos que os constituem.
  • Fruta, porque contém vitaminas e minerais necessários para nos proteger das doenças e manter o corpo em equilíbrio.

Nota: No caso de não se beber leite e se optar pelo iogurte ou queijo, é importante que o pequeno-almoço inclua uma outra bebida, porque o corpo, após uma noite inteira sem bebermos nada, precisa de ser rehidratado.

Sugestões para contornar um “problema” chamado pequeno-almoço


Para quem tem dificuldade em tomar o pequeno-almoço ou beber leite, aqui ficam algumas sugestões:

  • Varie sabores de leite (chocolate, morango, baunilha...) e experimente fazer batidos com diferentes frutas.
  • Se não tem fome logo que acorda, prepare um pequeno-almoço saboroso para comer assim que sinta fome. Algumas ideias: pacotinhos de leite, um iogurte com cereais, uma sanduíche bem recheada, etc.

Leite: só ao pequeno-almoço?


A resposta é, obviamente, não. O leite pode e deve ser consumido ao longo de todo o dia, constituindo um snack saudável, ideal para quebrar os intervalos entre as refeições que, muitas vezes, têm tendência a tornar-se excessivamente longos.
Há, por exemplo, quem goste de beber leite a meio da manhã (quando o pequeno-almoço já se consumiu na azáfama do princípio do dia); quem enriqueça as refeições principais com um copo de leite (um bom truque, para as crianças que sofrem de falta de apetite); ou quem não dispense o leite à hora de deitar (um copo de leite pode mesmo ser um bom indutor do sono).
Claro que não é necessário cair em excessos: tal como os outros alimentos do seu grupo, o leite deve ser consumido diariamente, de forma moderada (a Nova Roda dos Alimentos recomenda duas a três porções diárias de laticínios).